Entregamos em todo o Brasil

Frete grátis SP e grande SP para compras acima de R$ 300,00

3x sem juros no cartão para compras acima de R$ 500,00

5% de desconto à vista no boleto ou depósito, exceto nos
produtos em Oferta

Dicas

  • Acerte na escolha dos vinhos para o seu casamento!

    Organizar uma festa de casamento não é uma tarefa muito simples. É preciso pesquisar, escolher e decidir todos os preparativos da lista: espaço, decoração, música, bolos, doces e, claro, as bebidas.

    No pacote de bebidas alcoólicas, geralmente é incluído cervejas, destilados (podendo ser servido como drinks ou em doses), e os vinhos. No entanto, decidir quais são os vinhos ideais para a festa, pode ser um pouco complicado. Afinal, existem diversos tipos de uvas, de diferentes regiões do mundo e cada um, combina melhor com determinado momento da festa e harmoniza com tipos de pratos bem específicos.

    Para ajudar você a ter uma festa perfeita, separamos algumas dúvidas frequentes e sugestões de vinhos para agradar a todos os gostos. Confira.

    1.   Quais tipos de vinho são ideais para a sua festa de casamento?

    Entre os diversos tipos de vinhos, quatro deles são essenciais para montar uma lista de bebidas completa para o seu casamento: os vinhos espumantes, os vinhos brancos, os vinhos rosés e os vinhos tintos.

    As escolhas dos rótulos e da quantidade de cada vinho, vai variar de acordo com o estilo da festa: ela será realizada durante o dia ou durante a noite? No inverno ou no verão? Qual vai ser o tipo de buffet? Qual foi o cardápio escolhido? Quais outras bebidas serão servidas? Os casamentos durante o dia e festas feitas no verão pedem mais vinhos brancos, rosés e espumantes do que as festas noturnas. Assim como os casamentos na praia e no campo!

    2.    Quantas garrafas devo comprar?

    O tamanho da festa não importa nesse cálculo, pois a média é sempre a mesma e os elementos costumam ser iguais. Se for no estilo coquetel - com canapés e finger foods, o famoso “bolo e Champagne” - aposte em uma garrafa para cada dois convidados; Agora, se for servir um almoço ou jantar, pode diminuir o volume de garrafas - uma para cada três convidados é o ideal.

    3.    Quais vinhos escolher?

    Essa é a pergunta que não quer calar, mas a resposta é bem simples: vai depender... em primeiro lugar, o que vai ser servido no casamento. Canapés? Carnes? Massas? Risotos? Doces? Quanto pretende gastar com as bebidas?

    Essas perguntas são muito importantes para poder definir a carta de vinhos ideal para os seus convidados, porque os vinhos devem ser perfeitamente harmonizados com o cardápio escolhido. Veja as dicas que separamos:

    Carne Vermelha
    Se os pratos principais são de carne vermelha, os vinhos ideais são os tintos. Um vinho argentino feito de Malbec, ou os mais leves como os Pinot Noir são perfeitos; Mas você pode escolher os tintos intermediários também, como Merlot e Carménère são ótimas sugestões.

    Carne de Aves
    Carnes brancas pedem vinhos mais leves e com menos taninos para acompanhar, como os das castas Pinot Noir e Carménère. Entre os vinhos brancos, opte pelas uvas Chardonnay e Sauvignon Blanc, além dos espumantes da região de Prosecco, na Itália, que também são excelentes.

    Massas
    Os tintos italianos que harmonizam muito bem com massas acompanhadas de molhos vermelhos, cogumelos ou carne à bolonhesa são os Chianti e do Priorato.

    Queijos
    Em geral, parmesão e outros queijos duros harmonizam com Malbecs argentinos, Primtivos de Puglia ou Chantis. Queijos macios, como brie e camembert, pedem vinhos brancos de corpo médio a leve e acidez intermediária, como os Chardonnay do Novo Mundo. Já os queijos azuis, como gorgonzola e roquefort, precisam de vinhos de sobremesa, como os Vinho do Porto, Sauternes ou de Colheita Tardia. Enquanto os queijos de massa filada, tipo mussarela e provolone, harmonizam com vinhos tintos de corpo leve ou médio, com acidez acentuada para equilibrar a gordura, como os feitos com as uvas Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc.

    Frutos do Mar e Peixes
    A clássica combinação é o vinho branco, como os Chablis, Rieslings e Pinot Grigio. No entanto, alguns tintos são uma excelente opção, como os da uva Pinot Noir para o atum e a italiana Sangiovese para peixes de rio. Os rosés também são uma boa pedida, principalmente para acompanhar salmão e buffets de comida japonesa.

    Sobremesas
    Harmonizar vinhos com sobremesa é uma tarefa bastante difícil, principalmente por causa do açúcar usado no preparo das sobremesas. Por isso, a nossa indicação tanto para a o Bolo com Champagne quanto para as sobremesas após as refeições é o italiano Prosecco, dos tipos demi-séc e brut, que possuem doçura suficiente para harmonizar com o açúcar do bolo.

    4.    Qual a temperatura ideal dos vinhos para servir aos meus convidados?

    Existem algumas regras que determinam a temperatura adequada para cada tipo de vinho. Vamos conferir: os espumantes devem ser servidos até 10ºC, os brancos de 12 a 14ºC e os tintos entre 16 e 18ºC.

    Com essas dicas, vai ser difícil o seu casamento não ser um sucesso. Aproveite e deixe o seu comentário e nos acompanhe nas redes sociais.

  • Conheça os melhores Champagnes para o Réveillon

    A virada do ano tem muitas tradições e superstições, pular sete ondas, cores com significados, comer uvas, cada uma ligada a uma cultura ou religião, porém uma das tradições quase que unânimes é o ato de estourar a champagne na virada do ano.

    Não se sabe exatamente quando esta tradição começou, mas é, praticamente impossível imaginar uma celebração sem a bebida.

    O ato de estourar a champagne, por si só, já é um símbolo de celebração do ano novo. Há quem diga que a bebida esbanja vida na taça, por isso simboliza a renovação da vida no ano novo.

    Para tornar este momento mais especial, fizemos uma seleção de 3 champagnes para você celebrar a chagada do Ano Novo!

    1. CHAMPAGNE TAITTINGER BRUT RÉSERVE

     

    A primeira opção é um champagne francês, de paladar delicado e elegante, longa persistência e final refrescante!

     

    1. CAVA FREIXENET CORDON NEGRO BRUT

     

    A segunda opção é um champagne espanhol, possui coloração amarelo palha com tons esverdeados brilhantes, borbulhas abundantes, finas, persistentes e integradas formam uma bela coroa.

     

    1. ESPUMANTE CASA PERINI BRUT CHARMAT

    Para fechar nossa seleção, um espumante nacional, possui coloração amarelo-palha com reflexos esverdeados, perlage fino e intenso com aromas que remetem à peras e maçã verde. Esse é mais uma espumante pontuado da Casa Perini, vale a pena provar.

     

    Estas são apenas algumas das sugestões!

    Acesse nosso catálogo de Natal e veja mais opções!

    http://www.winebrasil.com.br/festas-final-de-ano/catalogo

  • 05 Dicas de presentes para surpreender no Natal!

    Como tradição, no Natal é comum presentear nossos amigos e entes queridos. Porém, em alguns casos, temos dificuldades para escolher um presente.Por isso nós temos algumas dicas para você inovar e surpreender no presente!

    A primeira dica é deliciosa!

    1. PANETONE FASANO TRADICIONAL 1KG

    Esse delicioso bolo de massa fermentada, enriquecida com gemas, frutas cristalizadas e passas é um clássico nas festas de fim de ano devido à sua qualidade.

    2. CESTA DE NATAL Nº 3

    Para aquele amante de vinhos e gastronomia a dica é a nossa Cesta de Natal nº 3, composta por:
    • 01 Cava Poderío Moscato Blanc – 750ml – Espanha
    • 01 Undurraga U Cabernet Sauvignon 2016 – 750ml – Chile
    • 01 Visconde de Garcez 2010 - 750ml – Portugal
    • 01 Porto Intermares Ruby – 750ml – Portugal
    • 01 Massa Paganini Fettuccine – 500g – Itália
    • 01 Pomodori Pelati Paganini – 400g
    • 01 Arroz Arbório Paganini – 500g – Itália
    • 01 Azeite Paganini Extra Virgem - 250ml - Itália
    • 01 Bruschetta de Azeitonas Verdes Paganini – 170g – Itália
    • 01 Biscoito Grissini Tradicional – 125g – Itália
    • 01 Damasco Turco - 100g
    • 01 Amendoim Croc Salsa – 250g
    • 01 Caixa de Kraft Preta

    3. KIT DE AROMAS DE VINHOS PAPILLON - 36 PEÇAS

    Para aquela pessoa que quer aperfeiçoar os conhecimentos em vinhos, o kit de Aromas Papillon é um ótimo material para identificar os aromas constantes nos vinhos e aprimorar o senso olfativo, um material para desvendar o mundo secreto dos vinhos.

     

    4. CHAMPAGNE LANSON ROSÉ LABEL BRUT

    Para quem já está pensando na festa do Revellion, que tal presentear com a champagne da virada?

    Um ótimo champagne de qualidade com aromas de frutas, paladar com boa acidez, cremosidade, rico e intenso, um final seco e de longa persistência, é um champagne que não dura tanto depois de degustado pois sempre vem a vontade de tomar mais.

    5. AZEITE DE OLIVA EXTRA VIRGEM IL GREZZO PAGANINI - 500ML

    Aquela pessoa que adora cozinhar ou aprecia uma boa refeição, o azeite Grezzo Paganini é a escolha perfeita para dar um toque refinado a qualquer prato já que é feito na primeira prensagem das azeitonas, sem filtragem.
    Gostou das dicas? Quer mais opções? Acesse nosso catálogo e aproveite!
    http://www.winebrasil.com.br/festas-final-de-ano/catalogo

  • Mitos x Verdades sobre vinhos

    Muito se fala sobre vinho, mas poucas pessoas sabem, de fato, se essas informações conferem ou não. Pensando em passar informação relevante aos nossos clientes, selecionamos alguns mitos e verdades sobre a bebida mais charmosa de todos os tempos, o vinho.

    "Quanto mais velho, melhor o vinho” - MITO

    "A maior parte dos brancos é feita para consumo imediato, ou até três anos, no máximo. Já os tintos, até uns cinco anos. Somente os grandes vinhos, bem armazenados, evoluem com a idade", explica o sommelier Fernando Perazza

    "Peixe só se come com vinho branco" - MITO
    É comum que as pessoas sugiram que você jamais combine vinhos tintos com peixes, mas nem sempre é assim. Peixes como bacalhau ou salmão podem harmonizar facilmente com tintos de taninos leves, como os Pinot Noirs da Borgonha ou os Gamays de Beaujolais.

    "Vinho tem temperatura ideal para ser consumido”- VERDADE
    Segundo o sommelier Gianluca Casagrande, os vinhos tintos mais intensos como Cabernet Sauvignon e Barolo são idealmente servidos a 18°C. Tintos de menos corpo, como um Pinot Noir, podem ter 16°C. Os brancos variam de 8°C a 10°C, emquanto os rosés devem em média vir a 12°C. Já os espumantes devem ser servidos com temperatura entre 8°C a 6°C.

    "Cozinhar com vinho não deixa álcool na comida" - MITO
    Sabemos que o álcool é volátil, no entanto, misturado à água, evapora em partes iguais, ou seja, se sobrou água, existe álcool. Ainda em receitas mais longas, como um boeuf bourguignon, que fica entre duas e quatro horas no forno, no fim das contas ainda existe cerca de 5% de álcool no prato.

    A taça influencia na degustação do vinho – VERDADE
    A taça não altera o sabor, e sim a percepção do vinho. Nesse sentido, a transparência do cristal permite melhor visualização da bebida, as hastes longas não afetam sua temperatura e o bojo mais aberto ressalta seus aromas.

     

    Gostaram das curiosidades? Enviem para nós suas dúvidas que esclarecemos se isso é um mito ou uma verdade.

    Au revoir!

  • Dicas para reaproveitar as garrafas e rolhas

    Se você é fã de vinho, talvez sempre se pergunta: O que fazer com a garrafa e a rolha quando acaba o vinho? Engana-se quem pensa que é hora de jogar fora! Com criatividade, é possível reaproveitar as garrafas e as rolhas na decoração da sua casa.

    A decoração mais comum são com as rolhas, investir em um recipiente transparente com diversas rolhas garante um charme especial. Além disso, deixa qualquer ambiente moderno.

    Outra forma de reaproveitar as rolhas é usá-las como imãs de geladeira. Basta retirar o miolo, colocar pequenas mudas de plantas e colar um imã na parte de trás. Charme e delicadeza em um objeto simples!

    Já para reaproveitar as garrafas de vinho, uma dica interessante é investi-las como vasos. Flores garantem um ambiente descontraído e delicado. Outra opção, é apostar nas luzes de decoração dentro das garrafas! Super charmosas e podem ser usadas em diversos ambientes, como: salas, cozinhas, quartos, escritórios.

    Essas são as nossas dicas! O que acharam?

  • 5 vinhos para expert!

    Muitos são os amantes de vinhos e, além disso, muita gente está sempre procurando a sofisticação e diversidade que esse universo oferece. Sendo assim, algumas pessoas são consideradas expert no assunto. Por isso, esse post é pra vocês!

    Nós da Wine Brasil, separamos 5 vinhos ideais para quem é expert no assunto. Vamos começar com o Pêra Manca Tinto: na boca é poderoso, grande estrutura, concentrado e fresco. Final de boca muito longo a frutos secos e chocolate preto.


    Nossa segunda sugestão é o Guru Branco que é muito equilibrado, tem boa acidez, corpo elegante e profundo com final longo e delicado. Nossa terceira sugestão é mais um tinto: o Mob Tinto tem grande frescor de boca, leves fumados, especiarias finas e muita elegância em um ótimo conjunto de leveza e equilíbrio!

    Nossa penúltima sugestão é o Júlio Bastos Garrafeira que é um vinho que resulta da seleção das melhores uvas provenientes de vinhas velhas de Alicante Bouschet.

    E, por último e não menos importante é o Quinta do Vallado Porto Tawny que tem um ataque delicioso, rico e aveludado com bastante frescura. O final é muito persistente e complexo.

    Essas são as nossas sugestões de vinhos para os expert! O que acharam? Deixem seus comentários!

  • Conheça os tipos de rolhas

    É impossível pensar em vinho e não se lembrar da rolha, pecinha superimportante na armazenagem da bebida. Pode não parecer, mas para muitas pessoas o simples fato de abrir o vinho com o saca rolhas faz toda a diferença na hora de saborear um bom rótulo.

    Antigamente, a única tampa que vedada os vinhos eram as rolhas feitas de cortiça, no entanto, hoje existe uma grande variedade de rolhas e cada uma tem uma característica diferente.

    ROLHA DE CORTIÇA

    Adotada no início do século XVII, tornou-se referência por fazer a vedação das garrafas. Extraído da casca do sobreiro ou do carvalho, a cortiça é um material natural muito encontrado em Portugal. Seu maior diferencial é por impedir que o líquido entre em contato com o oxigênio. Entretanto, é bastante vulneral à contaminação por TCA (tricloroanisol), que pode provocar mofo e odor, estragando completamente o vinho.

    ROLHA MACIÇA

    Produzida também de cortiça, é a opção de melhor qualidade. O tamanho é importante; quanto mais larga e elástica for a rolha, melhor para que ela tenha firmeza e consiga vedar a boca da garrafa.

    ROLHA DE AGLOMERADO DE CORTIÇA

    Conhecido por ser a fabricação mais barata, é feita com cortiça moída (sobras das rolhas maciças) e cola. A sua durabilidade também é menor e, algumas vezes, a cola pode sim interferir no aroma dos vinhos.

    ROLHA DE CHAMPAGNE

    Sua produção é dividida em 2 partes: a parte superior, maior e arredondada é feita com aglomerado de cortiça, com mais rigidez para poder puxar com a mão. Já a parte inferior é feita de rolha maciça, mais elástica para garantir a vedação.

    ROLHA SINTÉTICA

    De produção recente, a rolha sintética chegou ao mercado no começo dos anos 90 para substituir a rolha de cortiça.
    Mais econômicas e não vulneráveis à contaminação por TCA, esse tipo de rolha permite que o vinho seja armazenado em pé. No entanto, a durabilidade e a vedação ainda não são comprovadas, fato que, somadas ao lado estético, provoca revolta nos mais tradicionalistas.

    TAMPA DE ROSCA

    Feita de material metálico de rosca e com cobertura interna de plástico, este tipo de rolha impede que o vinho entre em contato com o oxigênio.
    A rolha de rosca foi popularizada em países como Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Chile, Argentina e Brasil.

    ROLHA DE VIDRO

    Nova no mercado, as rolhas de vidro estão entrando no mercado aos poucos, começaram a serem fabricadas no ano 2000. Completamente inerte, a rolha de vidro não tem sabor e nem cheiro, deixando assim o aroma do vinho totalmente livre de alguma alteração.

    E você? Conhecia toda essa variedade? Deixe sua opinião nos comentários!

  • Taça de vinho: qual escolher?

    Quem nunca passou pelo dilema de qual taça escolher para tomar vinho? É fato que existem diversos tipos de taças, mas primeiro é preciso entender o porquê elas existem!

    Atualmente, as taças são desenhadas de uma forma bem técnica, com foco no caminho que o vinho faz da taça até a boca e como os aromas chegam até o nariz. Mas, como nem todo mundo pode ter um tipo de taça para cada vinho, acreditamos que os amantes do vinho podem viver apenas com alguns modelos de taças!

    Primeiro passo para escolher uma taça para vinho é olhar o material, pois a taça precisa ser transparente, já que olhar a coloração do vinho é importante.

    Segundo passo é olhar o material, o mercado oferece três opções: cristal, cristal de vidro e vidro. Esse passo depende realmente da sua necessidade. Se você é cuidadoso, invista na de cristal. Caso contrário, a melhor opção é a de cristal de vidro ou vidro. Assim, a chance de quebrar a taça é menor!

    O terceiro e último passo é escolher o formato ideal para cada vinho. Vamos começar com o vinho tinto! A taça ideal para esse tipo de vinho é a que tem o maior corpo, pois o vinho precisa de espaço para respirar, podendo liberar os aromas e sabores.

    Já para o vinho branco, é ideal investir em uma taça menor, pois esse tipo de vinho é servido em uma temperatura mais baixa. Além disso, o corpo menor permite maior realce das notas de frutas.

    E para finalizar, nossa dica é apostar também em uma taça para espumante. A taça ideal é aquela mais fina e comprida, pois possibilita que as borbulhas sejam apreciadas.

     

    Essas são as nossas sugestões de taças ideais!

    O que acham? Deixem seus comentários!

  • Saiba como conservar vinho para manter a qualidade

    Em algum momento da vida, todo mundo vai ganhar um vinho valioso que precisa ser guardado com todo carinho. Porém, é comum a maioria das pessoas não saberem quais os principais cuidados.

    Pra você que já se decepcionou com um vinho que avinagrou, saiba que você nunca mais vai passar por isso! Confira as nossas dicas e nunca mais corra o risco de estragar um vinho precioso.

    • Deixe o vinho no escuro: Já percebeu que todos os vinhos são comercializados em embalagens escuras? Isso acontece porque o vidro escuro protege o vinho dos efeitos negativos da luz. Então, para conservá-los por mais tempo, é importante mantê-los em lugares escuros.
    • Guarde as garrafas na horizontal: É estranho, mas muito importante para preservar o poder de vedação da rolha e, consequentemente, as características do vinho.
    • Fuja de odores: Não é legal abrir um vinho e sentir um cheiro de cebola ou alho, não é mesmo? E isso pode acontecer, já que os odores podem passar pela rolha. Então, a dica é sempre manter o vinho longe de coisas com odores fortes.

     

    Essas são algumas dicas da Wine Brasil para preservar seu vinho.

    Então, o que acharam dessas nossas dicas? Deixem seus comentários!

  • 5 filmes do Netflix para assistir com um bom vinho!

    Atualizado em 05/09

     

    O catálogo da Netflix é atualizado quase que diariamente e possui filmes de todos os tipos e para todos os gostos!

    Nós, da WineBrasil fizemos uma seleção de filmes para você assistir e tomar um delicioso vinho.

    Aproveite!

     

    1 - Decanted.

    Dirigido por Nick Kovacic, este documentário retrata a região rica em vinhedos de Napa Valley, na Califónia.

    2 - Sour Grapes

    Sour Grapes conta a história do maior falsificador de vinhos da história, Rudy Kurniawan, que faturou cerca de U$35M.

    3 - Somm

    Este documentário mostra quatro sommeliers que se arriscam a fazer um curso extremamente difícil para ganhar o título de Mestre em vinhos.

    4 - Somm: Dentro da garrafa

    Vinicultores e sommeliers mergulham nos mistérios do vinho que vão desde a sua história até a fabricação e comercialização.

    5 - Um ano em Champagne

    Acompanhe viticultores, empresários de sucesso, fanáticos e especialistas no processo complexo da produção de vinhos exclusivos da famosa região de Champanhe, na França.

    Gostou das dicas ou tem mais dicas de filmes?

    Deixe nos comentários!

  • Curiosidades sobre azeite

    É comum as pessoas consumirem azeite no dia a dia, mas muita gente não sabe os benefícios e a maneira que eles são produzidos.

    Somente o azeite obtido por processos mecânicos contém substâncias antioxidantes e o seu consumo é tão importante quanto o vinho para a boa saúde. Na região do mar mediterrânico, muitas pessoas ultrapassam os 90 anos com uma vida normal e independente. Na maior parte da sua vida, o vinho e o azeite puro fizeram parte da sua alimentação diária.

    O azeite está pronto dentro da azeitona. Para extraí-lo são necessários apenas os seguintes processos mecânicos: colher a azeitona, lavar, moer, bater (separar os sólidos dos líquidos), centrifugar (separar a água do azeite) e filtrar. As prensas não são mais usadas, pois não atendem as normas de higiene atuais.

    Para produzir 1 litro de azeite, apenas por processos mecânicos, são necessários 6 Kg de azeitona. Para efeito de comparação, geralmente basta 1kg de uva para fazer uma garrafa de vinho de 750 ml.

    A oliveira e a vinha são plantadas nas mesmas regiões, ou seja, se adaptam aos mesmos solos e climas. As vinhas geralmente tem produções economicamente rentáveis entre os 3 e 30 anos, os olivais entre os 8 e 90 anos.

    O mercado atual de azeite é igual ao mercado do vinho há 30 anos atrás. Este mercado é dominado pelos comerciantes e não pelos produtores de azeite. Muitos comerciantes não têm sequer uma oliveira ou um lagar. Apenas compram e misturam diferentes lotes de azeite para comercializá-los.

    No entanto, existe uma tendência para os produtores de vinho lançarem também as suas marcas de azeite. Adega de Borba, Cortes de Cima, Fundação Eugénio de Almeida, Mouchão, Quinta da Alorna, Quinta do Noval, Quinta do Passadouro e Pintas & Guru já tem os seus azeites comercializados no Brasil.

    Infelizmente, o azeite “aceita” muito mais intervenções químicas do que o vinho. Com a utilização de aditivos químicos é possível extrair óleo do bagaço da azeitona, baixar a acidez de um azeite ou modificar seu aroma.

    O controle de qualidade do azeite na Europa é menos exigente do que o do vinho. Além disso, atualmente as leis brasileiras não permitem que se importe vinho e se engarrafe no Brasil, mas autorizam a importação de azeite em bombonas e o seu engarrafamento no Brasil.

     

    O azeite é classificado em 3 categorias:

    • azeite de oliva extra virgem - Obtido apenas por processos mecânicos e com acidez até 0,8%. Na Europa é o mais utilizado para temperar saladas e pratos na mesa. Este azeite é muito benéfico para a saúde.
    • azeite de oliva virgem - Também é obtido apenas por processos mecânicos, mas tem uma acidez mais alta, entre 0,8% e 2,0%. Na Europa é o preferido dos chefs e das donas de casa para elaborarem os seus pratos na cozinha. Os aromas e o paladar dos Azeites de Oliva Virgem são mais acentuados que os dos Azeites de Oliva Extra Virgem. Este azeite é muito benéfico para a saúde.
    • azeite de oliva - São azeites refinados. Na sua produção são utilizados processos e aditivos químicos. Este azeite é pouco benéfico para a saúde. Se o consumidor quiser economizar, sugerimos comprar óleo de milho ou de soja que são muito mais baratos que os azeites refinados.

    Teste doméstico para verificar a pureza do azeite?- Se deixar uma garrafa por 48 horas de óleo de milho, óleo de soja ou azeite refinado na porta da geladeira, ele continuará líquido. Se colocar uma garrafa de azeite puro obtido apenas por processos mecânicos (azeite de oliva virgem ou azeite de oliva extra virgem) na porta da geladeira, ele se tornará esbranquiçado e gelatinoso, ou seja, ele “talha”. Se uma parte do conteúdo da garrafa ficar gelatinosa e outra líquida, trata-se de um azeite com mistura de óleos ou azeite refinado.

    Não é necessário aumentar os seus investimentos em azeite. Reduza a metade o seu consumo atual de azeite, mas utilize somente azeite puro, obtido apenas por processos mecânicos e de procedência confiável e segura. Dê preferência aos azeites sem intermediários, ou seja, aos azeites feitos e comercializados diretamente pelos próprios produtores. Muitos produtores de azeite são produtores de vinho. Compre marcas de azeite que também sejam marcas de vinho.

    Fonte: Alentejana

     

11 Produto(s)